10 mulheres negras que são referência quando o assunto é fazer cinema

O cinema ainda é uma arte com voz e olhar masculino. Mas por trás das câmeras cada vez mais o olhar das mulheres se faz mais presente na criação das histórias que assistimos.


A realidade das mulheres negras é de uma distância ainda maior do campo cinematográfico. Segundo um estudo do Grupo de Estudos Multidisciplinares da Ação Afirmativa (GEMAA) da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), o cinema brasileiro apresenta desigualdades de raça e gênero nas quais se destacam uma profunda sub-representação das mulheres negras.


O estudo do Grupo analisou as vinte maiores bilheterias do cinema nacional entre 2002 e 2014. Nesse período, apenas 5% dos filmes tiveram mulheres negras no elenco principal. Em 2002, 2008 e 2013 nenhum dos filmes de maior bilheteria foi protagonizado por uma mulher negra. Nas áreas de roteiro e direção a situação é ainda mais desigual: nesse período, nenhum dos filmes analisados foi dirigido ou roteirizado por uma mulher negra.


Nessa realidade, é necessário sempre lembrar os nomes que rompem as barreiras erguidas pela desigualdade, pelo racismo e machismo. No mês em que se celebra o Dia Internacional da Mulher, trazemos os nomes de 8 mulheres negras dos cinemas nacional e internacional, que foram inspiradas por outras mulheres negras e que hoje inspiram outras gerações.


Adélia Sampaio — primeira mulher negra cineasta do Brasil. Lançou, em 1983, o filme “Amor Maldito” abordando temas como a posição da mulher na sociedade e as sexualidades vistas como “desviantes”.

Amandine Gay — filha de mãe marroquina, Amandine Gay nasceu na França. Em 2017 lançou o documentário “Solte a Voz”, sobre as experiências de mulheres negras na França e na Bélgica. O documentário foi produzido e distribuído pela própria cineasta.

Ava DuVernay — Estadunidense, Ava DuVernay foi a primeira cineasta negra a ser indicada ao Oscar de Melhor Direção por “Selma” (2014). Desde então, o nome da cineasta tem sido um dos mais pautados em Hollywood.

Sabrina Fidalgo — Cineasta, roteirista, atriz e produtora, Sabrina estudou cinema na Alemanha e na Espanha. Dirigiu curta-metragens, entre eles “Alfazema” e “Rainha”, reconhecidos internacionalmente. Em 2018, foi eleita pela revista Bustle, dos Estados Unidos, como uma das cineastas mais promissoras do cinema internacional.

Glenda Nicacio — diretora, roteirista e produtora, Glenda Nicacio se graduou em cinema pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). Fundadora da Rosza Filmes, dirigiu o filme “Café com Canela”.

Jessica Queiroz — formada em técnico em edição audiovisual pelo Instituto Criar e direção cinematográfica pela Academia Internacional de Cinema, Jessica dirigiu o curta-metragem “Peripatético”, que venceu o prêmio de Melhor Roteiro e Prêmio Especial do Júri no Festival de Brasília.

Viviane Ferreira — Nascida em Salvador, Viviane é a segunda mulher negra a dirigir um filme no Brasil. Lançou, em 2017, o curta-metragem “Um dia com Jerusa”.

Renata Martins — Diretora e roteirista, é criadora da websérie “Empoderadas”. Seu curta-metragem “Sem Asas” venceu o prêmio de Melhor Curta-Metragem no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro de 2020.

Melina Matsoukas — A cineasta estadunidense começou a carreira dirigindo videoclipes de artistas como Beyoncé, NE-YO, Solange e Lady Gaga. É uma das diretoras por trás de “Lemonade”, visual album de Beyoncé. Em 2019 dirigiu “Queen & Slim”, seu primeiro filme.


Durante muito tempo o audiovisual foi um meio extremamente excludente. Um meio dominado por homens brancos, ricos héteros e cis. Hoje, por conta da luta de muitas pessoas, especialmente de mulheres negras, nosso mercado está se transformando. Ainda estamos longe de um audiovisual democrático, mas nossa presença é fato.


As mulheres negras também se fazem presentes no Projeto Odilon — 50 Anos. Foi através das mãos delas que o projeto tomou forma, contribuindo de forma potente para a reformatação das gramáticas narrativas. É sempre necessário lembrar que esses nomes são potência.


Mariani Ferreira — roteirista e diretora

Sofia Ferreira — produtora executiva, produtora de elenco e atriz

Juliana Balhego — diretora e roteirista

Kaya Rodrigues — atriz e diretora

Vanessa Rodrigues — publicitária e produtora, diretora de arte

Ana Moura — roteirista

Priscila Severo — produtora

Marina Kerber — multiartista

Deborah Santolive — publicitária

Thais Silveira — jornalista

Jaqueline Damazio — designer

Adry Silva — roteirista

Cristina Rosa — roteirista

Thainá Silva — produtora e assistente de direção

Gautier Lee — diretora e roteirista


5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo